CORREDOR SEGURO

Metra lança campanha “Corredor de ônibus não é brincadeira!” para diminuir invasão nos corredores dos ônibus

 

Com o mote “Corredor de ônibus não é brincadeira!”, a Metra Transportes, operadora do Corredor ABD, lança uma nova campanha para reduzir a zero o número de acidentes envolvendo pedestres e ciclistas com os veículos na via exclusiva e alertar as pessoas para evitar ocorrências. A iniciativa está sendo divulgada nos nove terminais que administra, dentro de seus ônibus e nas redes sociais.

 

“Queremos reduzir a zero o número de acidentes com pedestres e ciclistas no Corredor ABD e alertar as pessoas para os riscos a que estão expostos. Quem viaja nos ônibus dos corredores exclusivos de ônibus da região Metropolitana de São Paulo presencia uma cena quase rotineira: ciclistas e pedestres circulando imprudentemente nas vias do sistema”, enfatiza Maria Beatriz Setti Braga, diretora da Metra.

 

Para evitar esse tipo de ocorrência, a Metra está promovendo neste mês essa importante campanha, porque, por mais que a empresa promova treinamento de direção defensiva e prepare os seus motoristas para se anteciparem aos possíveis incidentes é necessário orientar a alertar a população, sobretudo os pedestres, ciclistas, skatistas e patinadores que invadem os corredores.

 

No panfleto distribuído, os passageiros encontram explicações e orientações sobre as regras básicas para evitar acidentes nos corredores. O material também indica outras dicas importantes para as pessoas como sempre atravessar na faixa, olhar para dos dois lados e nunca cruzar no farol vermelho.

 

“Muitas vezes um atraso na linha é causado por algum tipo de invasão nos corredores. Apesar de toda a sinalização e da orientação espalhada por todo trajeto, a todo momento carros, motos e transeuntes cruzam o caminho do ônibus criando risco de batidas ou atropelamentos. Os motoristas são orientados a reduzirem a velocidade em qualquer ameaça de ocorrência, o que pode acarretar atrasos, que os passageiros nem fica sabendo”, finaliza a executiva.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE FERIADO

Confira abaixo a programação das nossas linhas para o próximo feriado 30/03 – Paixão de Cristo.

 

284 – Domingo
284M – Não Opera
285 – Domingo
286 – Domingo
287 – Domingo
287P – Não Opera
288 – Domingo
288P – Não Opera
289 – Não Opera
290 – Domingo
376 – Domingo
487 – Não Opera

 

Para ter acesso a programação dos demais dias clique aqui: Linhas e Horários

Leia mais

PRODUÇÃO DE ÔNIBUS CRESCE 67%, DIZ ANFAVEA

Segmento de urbanos teve alta de 73,4% e de rodoviários, elevação de 48,7%

ADAMO BAZANI

Os números de produção de ônibus no Brasil mostram que a indústria de veículos pesados está voltando a crescer, mas ainda há ressalvas como as incertezas que podem trazer o cenário eleitoral e as necessidades de mais opções de crédito para renovação das frotas.

Segundo dados divulgados agora há pouco pela Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a produção de chassis de ônibus no Brasil cresceu no primeiro bimestre deste ano 67% em comparação com semelhante período de 2017.

Saíram das linhas de montagem, 4.053 chassis nos meses de janeiro e fevereiro e, no mesmo período de 2017, foram 2.427 unidades.

Por subsegmentos, os modelos urbanos levaram a melhor: crescimento de 73,4% entre os primeiros bimestres, com 3.113 unidades. A produção de modelos rodoviários cresceu 48,7% com 940 chassis.

A Fabus – Associação dos Fabricantes de Ônibus, responsável por reunir as fabricantes de carrocerias, ainda não divulgou os dados de fevereiro.

A indústria prevê um crescimento maior no primeiro semestre. Após junho, o calendário eleitoral deve deixar de ter influência positiva na compra de ônibus, que deve ser antecipada para melhorar a imagem de postulantes e apoiadores aos cargos federais e estaduais dos executivos e legislativos.

O setor ressalta que apesar de os números positivos serem uma boa notícia, o crescimento se dá sobre uma base que sofreu forte retração nos últimos três anos.

LICENCIAMENTOS E MARCAS:

Segundo a Anfavea, licenciamento dos ônibus registrou no primeiro bimestre, 84,4% de aumento em relação ao mesmo período do ano passado.

A Mercedes-Benz continua liderando o mercado, seguida da MAN e Agrale. Confira.

1º) Mercedes-Benz: 1.007 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, alta de 219,7% em relação ao primeiro bimestre de 2017

2º) MAN – Volkswagen Caminhões e Ônibus: 320 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, alta de 48,1% em relação ao primeiro bimestre de 2017

3º) Agrale (inclui minionibus Volare): 234 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, alta de 41,8% em relação ao primeiro bimestre de 2017

4º) Scania: 56 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, alta de 229,4% em relação ao primeiro bimestre de 2017

5º) Volvo: 37 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, queda de 51,9% em relação ao primeiro bimestre de 2017

6º) Iveco: 28 ônibus produzidos em janeiro e fevereiro de 2018, queda de 78,3% em relação ao primeiro bimestre de 2017

 

DO DIÁRIO DO TRANSPORTES

 

Leia Matéria original aqui: diariodotransporte.com.br/2018/03/06/producao-de-onibus-cresce-67-no-primeiro-bimestre-diz-anfavea/#prettyPhoto

Leia mais

OPINIÃO: ANO NOVO, TRÂNSITO VELHO

CLÁUDIO JOSÉ DE ANDRADE

Com o término das férias é inevitável que haja o aumento da circulação de carros nas grandes cidades nos horários de pico (muitas vezes, até fora dele). E se no caminho há um acidente, ou começa a chover, se há greve no transporte público, entre outros imprevistos, os congestionamentos triplicam.

Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), a frota de veículos na cidade de São Paulo, constituída por ônibus, automóveis, motos, caminhões, entre outros tipos, alcançou em setembro de 2017 a marca de 8.550.441 veículos. Em 2008, no mesmo mês, o Detran-SP registrou 6.270.051 veículos. Portanto, em 9 anos, o número de automóveis na cidade de São Paulo cresceu perto de 35%. E é importante dizer, que todos os meses o Departamento registra emplacamentos de veículos novos.

A pesquisa sobre Mobilidade Urbana realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência, divulgada no mês de setembro de 2017, também constatou a piora do trânsito na cidade de São Paulo. Nesse quesito, a avaliação da situação do trânsito na cidade, caiu de 3,2 para 2,7 (em uma escala de 1 a 10) em relação ao ano anterior. Foram entrevistados 1.603 moradores da cidade de São Paulo.

Com o crescimento da frota de veículos ano a ano, iniciativas como o rodízio municipal de veículos e o programa “Sexta sem Carro”, da Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT), não conseguiram diminuir o número de veículos transitando na cidade de São Paulo, a ponto de fazer do trânsito um ambiente menos ‘selvagem’. Vale lembrar, que a cidade de São Paulo é o principal polo econômico do país, por onde passam viajantes de todos os lugares e de vários modos.

Dessa maneira, para amenizar o impacto da imensa demanda de pessoas que a cidade atrai, torna-se cada vez mais imprescindível desenvolver políticas para regulamentar o trânsito e o transporte.

Uma das melhores soluções para diminuir o trânsito nas grandes metrópoles é o transporte por fretamento. Os próprios usuários que contratam esse serviço também avaliam dessa forma. Essa modalidade pode retirar de 20 a 40 carros particulares das vias para cada veículo fretado. Esse é um cálculo aproximado se, levarmos em conta que um ônibus fretado pode levar, em média, 40 pessoas sentadas, enquanto um carro, de 1 a 3 pessoas no mesmo veículo.

Todos têm a ganhar com o fretamento. A ida e volta do trabalho com essa modalidade de transporte acaba por estimular as pessoas a deixarem seus carros em casa, o que pode trazer benefícios a sociedade, como a diminuição da poluição, dos acidentes e do estresse ocasionado pelo trânsito. Além disso, o fretamento é condução única para o usuário que não precisa fazer baldeações ao longo do trajeto. Ele vai sentado tendo o conforto de fazer outras atividades no percurso, como ler, ouvir música, acessar a internet e até tirar um cochilo.  O fretamento também oferece segurança ao usuário. Afinal, todos que estão dentro do veículo se conhecem e não há paradas durante o percurso para pegar pessoas que não estejam cadastradas. Portanto, com o fretamento, ganham o poder público e os usuários do transporte público que poderão ser melhor atendidos.

Cláudio José de Andrade é advogado e presidente do SINFRET – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo.

 

Do DIÁRIO DO TRANSPORTES

Veja matéria original aqui: https://diariodotransporte.com.br/2018/02/17/opiniao-ano-novo-transito-velho/

Leia mais

DELEGAÇÃO DA CIDADE DE TURIM FAZ VISITA TÉCNICA A METRA

Na última semana uma delegação da cidade de Turim (Itália) esteve em uma visita técnica na região do ABC Paulista e Capital como parte do programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC), desenvolvido pela União europeia (UE).

Na visita, a delegação italiana conheceu a Metra e o sistema de integração com a CPTM em Santo André, além das novas tecnologias fabricadas pela Eletra.

Confira abaixo as notícias que saíram na mídia sobre o evento:

Delegação internacional gosta de ônibus elétrico, mas critica falta de integração nos transportes metropolitanos da Grande São Paulo – Diário do Transporte 

Executivos de Turim analisam rodovias da região e Corredor ABDDiário do Grande ABC

Falta de integração tarifária no ABC motiva questionamentos de italianos Repórter Diário 

Leia mais

ÓLEO USADO DIRETO PARA O MOTOR

Óleo usado em fritura sai da cozinha para o motor

O Brasil produzirá 8,5 milhões de toneladas de óleo de soja em 2018. Do total, 7,7 milhões ficam no país, e boa parte vai para frituras. O óleo usado em frituras tem grande importância na produção de biodiesel, mas ainda vai para o ralo. A consequência é duplamente ruim: esse óleo gera uma poluição sem retorno —ao contrário de lata e papelão, que podem ser reciclados, mesmo quando estão no lixo.

Além disso, esse óleo poderia ser usado na produção de biodiesel, um combustível que é misturado ao diesel. Como reverter a situação? “O desafio é grande, mas há um processo de conscientização em andamento”, diz Márcio Barela, coordenador de sustentabilidade da Cargill. Ele acredita que parte da população não tenha essas informações. Outra tem, mas ainda descarta o óleo usado. Cresce, porém, os que se sensibilizam com a reciclagem.

Os pontos de coletas aumentam e estão principalmente nas redes de supermercados. Barela acredita que não basta, porém, só conscientização. É necessário um programa de incentivo. Pelo menos 77% da produção de biodiesel vem de óleo de soja. O óleo de fritura participa com apenas 1%. A composição é maior em algumas regiões. Dos 210 milhões de litros de biodiesel produzidos pela JBS Biodiesel, em 2017, 20 milhões vieram de óleo de fritura.

A empresa investiu R$ 5,5 milhões para ampliar a coleta, feita em 20 municípios da região de Lins (SP).

 

De Folha de São Paulo em 09/01/2018

Link da matéria original: www1.folha.uol.com.br/colunas/vaivem/2018/01/1948969-exportacao-de-carne-bovina-para-china-supera-a-de-aves.shtml

 

Leia mais

METRA NO BOM DIA SÃO PAULO

A Metra Transportes colocou em circulação um ônibus decorado especialmente para o período natalino. O veículo tem iluminação com temas alusivos ao Natal e vai operar em linhas regulares atendidas pela companhia até o começo de janeiro. Confira abaixo a matéria que o a Globo produziu para o jornal Bom Dia São Paulo na última Segunda-Feira 11/12.

Link da matéria no Globo Play 

https://globoplay.globo.com/v/6348070/

Leia mais